Comparação entre
o PIETISMO alemão e o METODISMO inglês

PIETISMO
METODISMO
FUNDADOR
Philipp Jakob Spener  (1633-1705)
João Wesley (1703-1791)
SITUAÇÃO RELIGIOSA
Estagnação ortodoxa do luteranismo escolástico pós-Reforma
Deísmo racionalista do anglicanismo pós-purirano
LIVRO FUNDAMENTAL
SPENER, Pía Desideria
William LAW, A serious call to a devoute and holy Life [Sério chamado a uma vida devota e santa]
CENTRO EDUCACIONAL
Universidade de Halle
Universidade de Oxford
ORGANIZAÇÃO
Conventículos
Sociedades metodistas
OUTRAS FIGURAS IMPORTANTES
Auguste H. Francke (1063-1727)
J. A. Bengel (1687-1752)
Nikolaus Ludwig von Zinzendorf (1700-1760)
PererBoehler (1712-1775)
Alexander Mack (1679-1735)
Charles Wesley (1707-1788)
George Whitefield (1714-1770)
Thomas Coke (1747-1814)
Francis Asbury (1745-1816)
Selina Hastings, condessa de Huntingdon (1707-1791)
IGREJAS RESULTANTES
Igreja dos Irmãos Igreja dos Morávios
Igreja Metodisa
Metodistas calvinistas (Conexão da condessa de Huntingdon)
ÊNFASES COMUNS
Santidade prática
Estudo bíblico individual
Necessidade de conversão consciente
Pregação evangelística
Práticas devocionais
Ajuda aos pobres e necessitados
Mais experiência que doutrina
INFLUÊNCIAS PIETISTAS
 SOBRE O METODISMO
Wesley conheceu um grupo de morávios num navio para a Geórgia e ficou impressionado com a confiança e a tranqüilidade deles (1735).
O morávio Spangenberg questionou João Wesley na Geórgia.
João Wesley procurou morávios em Londres; Bochler desempenhou papel importante em sua conversão (1738).
João Wesley visitou Zinzendorf cm Hermhut (1738).
Criaram-se as sociedades metodistas com base no modelo dos conventículos pietistas (1738).

0 comentários: